A análise de dados quantitativos e qualitativos traz diversos benefícios para as empresas a respeito de seu público-alvo. Por meio dela, a companhia consegue direcionar os produtos e serviços, adequando-os ao comportamento e às necessidades de seus consumidores.

Assim, garante ao negócio um diferencial competitivo no mercado, um público mais fiel à marca e uma otimização da lucratividade. Para tanto, é importante conhecer e entender como são feitas essas análises e suas diferenças. Isso porque é comum que os profissionais de marketing desconheçam o que são as pesquisas qualitativas e quantitativas e o que as difere.

Continue lendo este artigo e saiba para que servem esses dados e como eles devem ser utilizados na otimização dos resultados de seu negócio. Vamos lá!

O que são as análises qualitativas e quantitativas?

Em uma pesquisa quantitativa, o método utilizado é conclusivo e, por isso, tem como objetivo quantificar um problema para poder entender as dimensões dele. Geralmente, são fornecidas informações numéricas sobre o comportamento dos consumidores da marca. Isso possibilita realizar os processos de forma mais assertiva e uniforme.

Já nas pesquisas qualitativas, os dados referem-se ao que não se pode ser mensurado. O intuito é obter resultados relacionados às motivações, necessidades e comportamento do público-alvo, bem como a sua opinião e expectativa. Nesse tipo de avaliação, as informações geradas contêm um caráter exploratório, por isso, elas são em formato numérico. Assim, o grupo entrevistado pode se expressar livremente sobre qualquer tipo de assunto.

Quais as diferenças entre os dados qualitativos e quantitativos?

Os dados quantitativos são utilizados para medir o tamanho de um mercado, segmento em que a empresa atua, frequência de compra, comportamento dos consumidores, reputação da marca e níveis de distribuição. Essas informações impactam diretamente na tomada de decisão da organização. Devido a isso, o tamanho da amostra é muito importante, já que a pesquisa quantitativa providencia métricas precisas, que são baseadas em uma porção determinada.

Em contrapartida, os dados qualitativos não apresentam os resultados em números exatos. As coletas de informações podem ser realizadas de diversas maneiras. A amostra geralmente é pequena, e os respondentes são selecionados para complementar uma fração específica. O método qualitativo é a melhor opção para quando não há uma hipótese definida e o objetivo é investigar os costumes do público-alvo. Isso possibilita desenvolver uma abordagem mais apropriada à situação para um problema definido.

Como são feitas as análises?

Nas pesquisas quantitativas, é muito comum o uso de questionário, com a maioria das questões fechadas. Existem diversos tipos de perguntas que podem ser utilizadas, como múltipla escolha, dicotomia, ranking, matriz e abertas. É importante observar que o foco é testar uma teoria e obter resultados concisos e limitados. Por isso, não há abertura para interpretações diversificadas.

As análises de dados qualitativos já são adquiridas em entrevistas, grupos focais, etnografias e observação do participante. Geralmente, é seguido um guia semiestruturado que garante que todos os tópicos considerados serão abordados. Isso possibilita que os participantes sejam estimulados a explicar as motivações e razões por trás do seu comportamento. Esse processo ajuda a revelar barreiras e problemas estruturais que anteriormente não haviam sido considerados.

Com o auxílio de uma boa análise de dados quantitativos e qualitativos, as empresas contam com uma base de informações mais sólidas para nortear suas decisões. Vale ressaltar que esses dois dados podem ser utilizados complementando um ao outro, com a finalidade de obter melhores resultados e otimizar ainda mais as ações de marketing das organizações.

Gostou do nosso artigo? Então, aproveite para nos seguir nas redes sociais — FacebookInstagram e LinkedIn — e tenha acesso a mais conteúdos como este!

Escreva um comentário

Share This